Eugénio Costa Almeida

Revista 9 Sol Nascente revista9 Mar2016 pp
Uma reflexão estratégica sobre a segurança e defesa em Angola e a Intervenção no contexto regional subsaariano
(autores: Eugénio Costa Almeida & Luís Bernardino)
Revista Sol Nascente N. 9 pp: 45-67

Resumo:
No inovador e complexo paradigma securitário subsariano, Angola vem assumindo uma postura de afirmação nacional conducente com a sua estratégia de afirmação como produto de segurança regional, reflexo de uma intervenção crescente no plano geopolítico e geoestratégico Africano. Após o período de conflito interno, após a sua independência em 1975, e depois da assinatura do Acordo de Luena em 2002, Angola vem assumindo internamente uma política de reconstrução, especialmente ao nível da Segurança e Defesa, tendo como principais protagonistas as suas Forças Armadas. Estas são cada vez mais, instrumento da política externa e no seio das organizações sub-regionais onde tem assento, elemento valorativo do posicionamento geoestratégico Angolano na região. Num quadro de crescimento institucional destas Organizações, Angola aposta num maior envolvimento, pois atuando externamente garante a paz e o equilíbrio interno nas fronteiras, contribuindo para prestigiar Angola em África e no Mundo.
Palavras Chaves: Angola; Segurança e Defesa; SADC; CEEAC; Golfo da Guiné

Abstract:
In the innovative and complex security-paradigm sub-Saharan, Angola has assumed a position of national affirmation leading with his claim strategy as regional security product, reflecting a growing intervention in the geopolitical and geostrategic African plan. After the period of internal conflict after its independence in 1975, and after the signing of the Luena Agreement in 2002, Angola has been taking internally a reconstruction policy, especially in terms of security and defense, with the main protagonists its armed forces. These are increasingly instrument of foreign policy and within the sub-regional organizations which it is entitled, evaluative element of the Angolan geostrategic position in the region. An institutional framework growth of these organizations, Angola promotes a greater involvement as acting externally guarantees peace and internal balance border, contributing to honor Angola in Africa and the world.
Key Words: Angola; Security and Defense; SADC; ECCAS; Gulf of Guinea.

Pode continuar a ler o texto, na íntegra, no RISPSN, no portal da Revista Sol Nascente

Partilhe este artigo
Pin It

Escreva-me

Pesquise no site