Eugénio Costa Almeida

Na linha do que já vem fazendo há uns anos a esta parte, o presidente Eduardo dos Santos, declinou o “simpático” convite da União Africana (UA) em que fosse reforçado o contingente africano de interposição e segurança na República Centro-Africana (RCA).


Angola já o tinha feito quando foi solicitada a colocar as suas forças na Somália. Na altura o Governo angolano, e bem, disse que aquela não era uma zona de influência.
Ora, a RCA faz parte do grupo de Estados da África Central de que Angola é membro integrante bem como da Conferência Internacional da Região dos Grandes Lagos (CIRGL) de que Angola passou a liderar desde o passado dia 15 de Janeiro.
Sendo que o objectivo principal da CIRGL é a pacificação da região, e atendendo que Angola é a potência emergente principal no âmbito dos Grandes Lagos, seria expectável, até para afirmar a sua força política que Angola desejasse participar, a par da antiga potência colonial e habitué nas participações militares de “pacificação” das antigas colónias africanas, que desejasse colocar tropas na região.
No entanto e inteligentemente, o presidente considerou que uma coisa é apoio humanitário que deve ser levado a efeito; outra, bem diferente e, por certo de custos elevadíssimos e de duvidoso interesse político, o envio de tropas de interposição e sem que a paz entre os oponentes esteja firmada e consolidada; até porque os dois Sudãos estão perto e Eduardo dos Santos já anunciou o cessar-fogo na região; o contrário ou uma participação militar na zona, iria condicionar os interesses políticos sinófonos.
Não esqueçamos que Angola já faz parte de uma das 5 brigadas da UA, estacionada na Botswana, criada no âmbito do Conselho para a Paz e Segurança da UA (CPS) e do Sistema Continental de Alerta Prévio (CEWS) da SADC pelo que não necessita de dividir as suas forças por entidades terceiras e geográfica e politicamente fora da sua efectiva zona de influência.

Análise/comentário publicado no semanário Folha 8, edição de 18 de Janeiro de 2014, página 12 (ver no blogue Pululu)

Partilhe este artigo
Pin It

Escreva-me

Pesquise no site